terça-feira, 19 de fevereiro de 2013

SHOW: STRYPER EM SÃO PAULO


Em 2006 quando o Stryper esteve pela 1ª vez no Brasil, ao término do show falei: “Este foi o Show da minha vida”, mas eu vou corrigir, neste último domingo dia 17/02 foi “o show da minha vida”, Stryper com sua formação original quebrando tudo com as melhores musicas dos 29 anos da banda, foi excelente! 

Antes da banda se apresentar 50 pessoas foram sorteados para “meet and greet”, infelizmente não fomos sorteados. Um pouco depois das 20h o primeiro sinal que a banda Stryper estava no palco, a intro "Abyss", abre-se as cortinas do Carioca Club e entra em cena a banda com "To Hell With Devil", levando a galera ao delírio, cara fiquei emocionado ao ver Michael Sweet, Oz Fox,Tim Gaines e Robert Sweet e todo Carioca Club cantando uma só voz To Hell, foi demais. Foi uma atrás da outra, "Sing-Along Song, Loud´´N Clear" (que nem precisou ensinar a galera a repetir o refrão), e "Reach Out".

Michael falou sobre o sucesso que foi o Álbum de 1986 "To The Hell the Devil", disse que naquela época seus cabelos eram bem cheios, suas roupas apertadíssimas (Robert e Oz Fox não mudaram muitos suas calças) e rolou o som "Calling on Your" , "Free" e "More Than a Man", neste momento agradeci muito a Jesus pela salvação e nova vida que Ele me deu, este som marcou a minha vida. 
Michael chamou Robert Sweet para lançar bíblias ao publico, uma marca registrada da banda em suas apresentações. Esta hora já tinha rolado metade do show e o que nós ouvíamos era um Stryper com som mais pesado e a voz de Michael não deixando nada a desejar depois de tantos anos, muito simpático lançava palhetas ao publico e parecia estar muito satisfeito com os brasileiros. 

Após tocar "Surrender" e "The Rock That Makes Me roll", Michael declarou: “Durante todo este tempo queríamos muito voltar a Brasil e hoje estamos felizes de estar aqui com vocês, se nós voltarmos novamente a Brasil, posso contar com a presença de vocês?” , a galera gritou, “Yes”.

Em 2011 a banda lançou um álbum tributo as bandas que os influenciaram no passado, The Covering, apresentaram "Braking the Law" (Judas Priest), "Shout It Out Loud" (Kiss) e "Heaven na Hell" (Black Sabbath), ficando o destaque para Oz Fox que mandou muito bem nos solos, entre estas musicas rolou ainda "All for One".

A esta hora sentíamos que estava chegando o final, aquele aperto no peito, mas tinha mais, começaram os primeiros acordes de "Soldiers Under Command" e a galera começou a cantar, Michael ficou só apreciando o público a uma só voz levar a melodia da música (em muitos momentos do Show eu não ouvi a voz de Michael, só da galera), foi muito bom, no término Michael fez a declaração: "Vocês são demais, gostaríamos de voltar para casa com vocês voando conosco”. A banda se despediu e saiu de cena, e como é de “lei” todos gritaram sem parar “Stryper!”. 

Michael voltou sozinho para palco e cantou o clássico "Honestly" ao som de um piano (playback), logo em seguida toda a banda retorna e cantou a última da noite "The Way", em seguida Michael pediu silencio e orou por todos os presentes e agradeceu a Deus por mais uma apresentação. A banda se despediu e a galera pediu “In God in thrust”, mais vai ficar para a próxima apresentação do Stryper no Brasil.
Excelente show que vai ficar na história de muitos como eu que estive no Carioca clube em São Paulo em uma noite marcante.

Gentilmente cedida por:
Pr Adriano Alves
www.overrock.mus.br

Nenhum comentário: